sábado, 6 de novembro de 2010

Acabo de assistir Olga pela 3ª vez. Não me emocionei tanto como das outras vezes, acredito que por já conhecer as cenas. Desligo o DVD motivado a escrever sobre a vontade de "mudar o mundo" de Olga. Em uma despedida repentina, o filme vai te moendo aos poucos, nos últimos minutos fui tendo a certeza que este tipo de material cinematográfico (Zuzu Angel, Cabra Cega), os literários (como o 1984 do Orwell) e alimentam de um desejo enorme de fazer diferente! Mas o que é fazer diferente né? Parece discurso de igreja! Não quero fazer diferente coisa nenhuma, quero apenas fazer! Fazer... Se todas as pessoas fizessem o mundo seria diferente! Fizessem o quê? Sei lá, pensar no outro, no todo, no coletivo!

Muita informação, pra pouca FORMAÇÃO! (Camila Morgado)